Essa tristeza que me invade todos os dias,
Em sua maioria, a noite.
Parece uma grande navalha,
Que corta tudo que existe em mim.
                                                 (E assim fazendo-me sangrar)

Em alguns instantes toda fonte de alegria desaparece,
E o que me resta é apenas a solidão.
Como queria partir desse mundo
Para em outro por fim repousar.

Caminho em um bosque sombrio,
A procura de alguma luz,
Não há nenhum som, além do barulho dos meus passos
E não há nenhuma companhia, além de mim mesma.

Essa tristeza que suga toda minha força,
Parece tomar conta de mim,
Perco todas as esperanças
E desisto lentamente de existir.

0 comentários:

Postar um comentário