Acordei-me com os primeiros raios de sol, o relógio marcava 2hr antes do previsto, olhei pela janela e vi uma bela estrela entre o céu cinzento... Ela brilhava constantemente, identifico-me tanto com as estrelas, mesmo em suas constelações estão sempre tão só, seu brilho belo reflete meus sentimentos, que por muitos passam despercebidos. E acaba sempre tão de repente quanto surgiram, formando um buraco negro em minha alma. Sugando toda a felicidade ao meu redor!

O “Clã da Floresta” ainda estava a tocar uma suave e alegre melodia, o embalo das variantes envolvia-me a uma dança. O som daquele nervoso e solitário violino, que parecia chorar junto comigo toda dor que venho carregando em mim.


Eu tentei amá-lo com tudo o que eu pude, mesmo em segredo, a lua foi testemunha do quanto sofri por carregar este amor, do quanto quis tê-lo, do quanto desejei noite e dia, mas, chegou o momento de arrancar de dentro de mim, todo esse sentimento que me fere tanto. Meus sentimentos são invisíveis para aquele doce rapaz e seu coração já pertence certamente a outro alguém e nada mais poderei fazer do que esperar a madrugada chegar, para novamente com ele sonhar. É um completo suicídio continuar amando-o, estarei matando meu ser, meu coração, minha alma... A dor ao vê-lo cortejar outras donas é imensa e já não sei se posso esconder tal fato. Tento afastar-me, mas há uma enorme e dominadora força, que me puxa para perto dele novamente.


Passei parte do imaginável tempo, buscando de alguma forma arrancar essa doença do meu peito e percebi que já era noite, eu já estava ardendo em febre e não havia nenhum remédio ao meu lado...


Então vi as estrelas posicionadas sobre minha cabeça, a lua, sempre sorridente para mim... Ambas já estavam a brilhar neste vasto céu. E novamente, tu vens atormentar-me, pois o brilho de seus olhos lembra-me as estrelas... Sempre tão belas e solidárias as minhas necessidades, confortam-me nestas noites longas e frias. As estrelas trazem você para mais perto de mim, fecho os olhos e até posso sentir seu calor. Teu sorriso entorpece meus sentidos, fazendo-me delirar.


Em meio a estes delírios, procuro em minha imaginação um meio mais fácil de lhe ter ao meu lado. Mas então tua imagem passa por minha mente e parece que o mundo não gira... Tudo para e vejo somente você, sorrindo para mim.

1 comentários:

Luany, muito da hora mesmo o teu texto! Vc tem uma narração bastante rica em poeticidade. Cria imagens a todo momento, além de mergulhar no próprio interior. Muitas vezes, lembra textos existencialistas, visto que parte do simples cotidiano para uma experiência existencial única, profunda. E é isso que sempre me atrai em vc, quer dizer, a capacidade de elaborar textos de tal ordem. Fico contente em encontrar espaços assim na net, pois, como vc sabe, há muita gente hj em dia falando besteira por aí. Gente da profundidade de uma poça de lama.

Gostei da analogia do estado emocional com as estrelas - o que revela um sentimento pelo Infinito, um dos atributos de Deus, senão o próprio Deus.

Por último, não encare isso como bajulação, mesmo pq não é de minha natureza. Apenas fiquei alegre com o texto. Palavras me fazem sentir o que o Universo desperta de mais profundo em meu coração.

Até mais. Abraço!

Postar um comentário